Artigos

Sinal
de alerta

Uma luz amarela está acesa na economia. E não deve apagar tão cedo. O sinal de alerta foi emitido pelo Fundo Monetário Internacional em seu Relatório de Estabilidade Financeira Global, divulgado no início de outubro. O maior nível de preocupação deve estar entre os mercados emergentes. Nisto, o Brasil é parte interessada.

Depois de uma década da crise financeira mundial, a instituição destaca uma melhora dos quadros regulatórios do sistema bancário. Os freios e contrapesos estão melhor calibrados. Porém, o relatório avisa: “Novas vulnerabilidades surgiram e a resiliência do sistema financeiro mundial ainda não foi testada”. Digamos que foram trocados a suspensão e os freios do seu carro, mas ele ainda não encarou uma pista off-road para ver se dá conta realmente do desafio.

Além disso, a pista vai ser mais esburacada e cheia de lama se o seu carro tiver placa de um país emergente. Isto vale para brasileiros, mexicanos, argentinos, sul-africano, entre outros. “Os riscos poderiam aumentar drasticamente caso as pressões nas economias de mercados emergentes aumentem ou as tensões comerciais se agravem”, alerta o relatório.

O FMI considera que as pressões sobre esses mercados irão aumentar os riscos de estabilidade. Em médio prazo, o cenário pode ser semelhante ao da crise de 2008. É uma probabilidade. Não uma certeza. Para piorar, a perspectiva de crescimento da economia mundial não é das melhores. “Os riscos de médio prazo para a estabilidade financeira mundial e o crescimento permanecem elevados. Um aperto súbito e agudo das condições financeiras poderia trazer à tona uma série de vulnerabilidades acumuladas ao longo dos anos.”

É verdade. O cenário não é dos melhores. Não se trata apenas da relação do brasileiro com a urna. O mundo está complicado como um todo. Estará preparado quem for responsável com as finanças. Não podemos meramente surfar em ondas e achar que voltaremos ao topo por milagre. Já fizemos isso e quebramos a cara. É hora de ter responsabilidade. O caminho é difícil, mas temos força para percorrê-lo. Até lá, vamos prestar atenção nesta luz de alerta. Ela pode ajudar a iluminar nossa jornada.

«   Voltar