Artigos

O nome da vez:
Katrina Lake

Em meu artigo a respeito do NRF 2019, já citei uma empresa que subiu um degrau na evolução do ecommerce. É a Stitch Fix, uma consultoria digital de estilo que já se tornou um negócio de mais de US$ 3 bilhões. O nome e a mente por trás de tudo isso é Katrina Lake. Ela tornou essa ideia uma realidade da nova economia. Talvez mais do que isso. A Stitch Fix é um caminho a seguir.

A Stitch Fix conta hoje com 2,9 milhões de clientes ativos, representando um crescimento de 22% em relação a 2017.  Desde que enviou a sua primeira caixa de produtos, em 2011, a receita anual ultrapassou os US$ 1,2 bilhão. Além disso, a companhia vende mais de 1.000 marcas e ticket médio de US$ 55.  Pelo menos 75% deles forneceram informações via Style Shuffle, o que proporcionou mais de um bilhão de avaliações.

Aos 36 anos, Katrina tem uma história incomum. Ela sonhava em ser médica, antes de abraçar o empreendedorismo. Frequentou inicialmente um curso preparatório para medicina, mas se interessou por economia e negócios. Nos bancos escolares de Stanford, em São Francisco, ela percebeu o rumo que teria de seguir. Não pela ajuda do ambiente acadêmico, mas pelo tanto que este trabalhou contra.  “Havia lá uma influência antiempreendedora”, contou Katrian em uma entrevista à Forbes. Ela conta que as pessoas à sua volta não eram parecidas com seu estilo. Até chegavam a impedir que ela visse o empreendedorismo como opção. “Há maneiras de empreender sem ser aquela pessoa doida que corre altos riscos. Tive a sorte de descobri-lo para mim. Espero que também outros também o vejam como caminho a seguir.”

A história de Katrina é muito semelhante a muitas outras do Vale do Silício. Durante o período de estudos em Stanford, ela conseguiu um emprego como consultora em uma empresa de capitais. A sua ideia da Stitch Fix surgiu quando cursava a Harvard Business School. Aliás, ela enviou as primeiras encomendas do Stitch Fix a partir do seu apartamento. A sua ideia de combinar em que uma combinação de estilistas e algoritmos humanos escolhe roupas adaptadas para preferências individuais. Ela uniu a eficiência do big data e da tecnologia com a tudo o que havia de mais pessoal da experiência do consumidor. Aliado a isso, a empresa enviar sugestões de looks para seus clientes. E a taxa de acerto é de 80%.

Aos 34 anos, Katrina foi a mais jovem fundadora a abrir o capital de sua empresa. Não foi fácil para ela convencer os investidores de Wall Street para conquistar um lugar na bolsa eletrônica Nasdaq.  “Se eu ouvisse os investidores que não gostaram da nossa ideia, eu não estaria aqui hoje”, disse Katrina à Forbes. “Teve muita gente no caminho que não apostava do conceito. Achava que era ruim, recusava-se a investir. As pessoas dizem não o tempo todo.” Do limão, faz-se uma limonada. Quando um businessman refutava o seu projeto, ela já pediu o contato de outro. Ao menos, a reunião já teria valido para isso.

Parece discurso de autoajuda, mas o “não” estava longe de ser um muro para ela. Era um degrau. Desse degrau, ela construiu uma escada muito consistente. No mundo da moda e dos negócios, Katrina Lake não para de subir.

«   Voltar